Síndico Profissional: o que é, suas funções e quanto ganha

Postado em

Ser síndico não é uma tarefa nada fácil. Embora muitos acreditem que sua principal atribuição é zelar pelo bem-estar dos condôminos, as competências vão muito além e envolvem até mesmo responsabilidades civis e criminais. A gestão de um condomínio em muito se assemelha à de uma empresa. E não é à toa que já existem pessoas se especializando nesta função: são os chamados síndicos profissionais.

Embora a profissão não seja regulamentada, o Novo Código Civil de 2002, por meio do artigo 1.347, legaliza a contratação de um síndico profissional em edifícios residenciais e comerciais: “A Assembleia poderá escolher um síndico, não condômino, para administrar o condomínio, por prazo não superior a dois anos, o qual poderá renovar-se”, diz o artigo presente na Lei Federal 10.406/02.

Mas, se para você essa modalidade de administração de condomínios é novidade, continue lendo o artigo! Nele, vamos explicar os detalhes que acompanham a função de síndico profissional.

Síndico profissional: o que é?

O síndico profissional é uma pessoa que desempenha a função de gerenciar o condomínio como um todo, porém, sem residir no local. Desta forma, ele atua como um freelancer, mas com todas as funções e responsabilidades que teria um síndico morador. Ele não é um funcionário contratado do condomínio e emite Nota Fiscal para receber o salário.

Hoje já existem cursos para quem quer investir na carreira de síndico profissional, mas isso não é obrigatório para desempenhar esse papel. Muitas vezes, um síndico profissional é alguém que gerencia o lugar onde mora e viu que pode exercer suas habilidades em outros condomínios, gerando uma renda extra.

Porém, existem aqueles que dedicam seu tempo integralmente ao papel de síndico profissional, atuando em diversos locais ao mesmo tempo. Como, normalmente, a presença do síndico profissional no empreendimento é exigida uma vez por semana ― o número pode variar de acordo com o contrato de prestação de serviço firmado ― é perfeitamente possível que ele atenda mais de um condomínio simultaneamente.

Quais funções desempenha?

Mesmo que não esteja presente diariamente no local atendido, o trabalho do síndico profissional é exatamente igual ao de um síndico morador. Tanto que a sua jornada costuma ser dividida entre duas funções: as visitas, onde atende moradores e acompanha os trabalhos da equipe de funcionários, e o de planejamento. Nesta segunda parte, são realizadas as tarefas administrativas e de estudo de melhorias.

São funções do síndico:

  • zelar pela integridade fiscal, organizando o pagamento de impostos e mantendo a documentação em dia com prefeitura e demais órgãos;
  • convocar e presidir todas as convenções do condomínio, assim como a elaboração de atas;
  • administrar todo o condomínio, incluindo a mediação de conflitos entre condôminos;
  • coordenar o quadro de funcionários, sejam eles contratados ou terceirizados;
  • manter os moradores informados sobre as atitudes administrativas tomadas;
  • representar o condomínio e defender os interesses dos condôminos;
  • responsabilizar-se pela perfeita manutenção das áreas comuns;
  • gerenciar o fundo reserva e convocar chamadas de capital;
  • acompanhar as taxas de inadimplência e ações judiciais;
  • determinar o cronograma de obras e manutenções;
  • contratar os seguros obrigatórios;
  • prestar contas.

O síndico profissional, além da atualização constante a todos os condôminos, é fiscalizado de perto pelo Conselho do condomínio ― esse, sim, obrigatoriamente composto apenas por moradores.

Quanto ganha um síndico profissional?

Por ser um profissional autônomo, sem nenhum vínculo trabalhista com o edifício atendido, um mesmo síndico profissional pode atender vários clientes ao mesmo tempo. Desta forma, os rendimentos podem variar bastante.

Por não ser uma profissão regulamentada, não existe um piso salarial. Entretanto, o salário do síndico profissional deve ser calculado levando em consideração:

  • o tamanho das áreas comuns e quantidade de áreas de lazer;
  • o número de visitas que serão realizadas semanalmente;
  • a quantidade de funcionários que serão gerenciados;
  • o valor da taxa de condomínio;
  • o número de unidades.

Por ter tantas variáveis envolvidas, um síndico profissional pode ganhar de R$1.500,00 a R$4.000,00. Como é possível gerenciar mais de um local, não é raro encontrar síndicos profissionais com rendimentos superiores a R$10.000,00 por mês.

Um das principais vantagens de contar com ajuda especializada é ter a certeza de que o condomínio está em situação regular. Manter os seguros e taxas do condomínio em dia é fundamental para a segurança, inclusive legal, de todos. Entre em contato conosco e solicite uma cotação dos seguros obrigatórios sem compromisso.

Como reduzir os custos do plano de saúde empresarial